3.538 páginas

Boa tarde!

Apesar da exclamação ali, este não é um post lá muito orgulhoso… Este é o momento em que eu venho, na maior cara de pau, um ano, um mês e um dia depois deste outro dizer que eu não cumpri a minha meta de leitura em 2013 =/ Mas quase cumpri, oras! =)

Em 2012, depois de uma longa temporada de livros técnicos sobre jornalismo, me obriguei a ler 12 obras durante em 12 meses. Li quase 13. A meta deste 2013 era ler mais 13. Li 10 e uns trocados…

Vamos às desculpas explicações: mudei de emprego, mudei de rotina, fiquei indecisa sobre qual ler primeiro e acabei perdendo um bom tempo parada em um ou outro. O que interessa é que eu tenho 10 boas dicas literárias do ano, que somaram 3.538 páginas – 114 a mais que no ano passado. Desta vez, não tirei nada da lista, nem troquei uns pelos outros. Fui persistente… hehe

Rota 661. Rota 66 – Caco Barcellos – 274 páginas
Terminei em 10/1
Há parênteses a serem colocados no modus operandi? Há, né? (Quase) todo mundo jornalista sabe disso. Mas o livro é espetacular, a leitura prende e fica aquele misto de querer saber o que vem, mas uma pena de acabar… Recomendo um pouco de estômago para ler esse (assim como outro mais à frente).

 

Cinquenta Tons de Cinza2. Cinquenta Tons de Cinza – E. L. James – 480 páginas
Terminei em 16/1
O polêmico parte 1. É vazio, não diz nem acrescenta nada intelectualmente a quase ninguém. Mas a moça britânica sabe muito bem como fazer o leitor devorar as páginas. Esse primeiro livro consegue ser um pouco mais interessante, ainda tem um pouco de
história para contar. Já os outros…

 

Cinquenta Tons Mais Escuros3. Cinquenta Tons Mais Escuros – E. L. James – 512 páginas
Terminei em 28/1
Se no primeiro livro ainda existia uma história a contar, os resquícios de “literatura” vão se esvaindo aos poucos nesse segundo livro na tal trilogia da discórdia, da separação de casais, das cobranças etc etc. Vejam bem, nem por isso eu deixei de ler ele em 12 dias!

 

Cinquenta Tons de Liberdade4. Cinquenta Tons de Liberdade – E. L. James – 544 páginas
Terminei em 17/2
Este eu levei um pouco mais de tempo pra engolir. 20 dias quase de tortura por falta de conteúdo e qualquer coisa que prendesse o leitor. É aquele livro que você fica passando as páginas para saber quantas ainda faltam para acabar. Mas como eu tinha lido os outros dois, não ia largar a trilogia pela metade, né? Muito, mas MUITO fraquinho…

 

Gabriela, Cravo e Canela5. Gabriela Cravo e Canela – Jorge Amado – 336 páginas
Terminei em 30/5
Jorge é Jorge, né? Não preciso dizer muita coisa sobre o Bataclã, o Vesúvio, Gabriela e seu Nacib – a não ser que você não tenha lido o livro ou visto a novela, aí corre lá pra fazer isso. Só vou dizer que não tenho vergonha na cara por ter lido o livro só depois de ver a novela…

 

1Q84 - Livro 16. 1Q84 – Livro 1 – Haruki Murakami – 432 páginas
Terminei em 18/6
O japinha! Depois de ler o espetacular ‘Minha Querida Sputnik’, na meta do ano passado, entendi que posso ler qualquer coisa desse rapaz e estarei feliz. 1Q84 é leve e forte ao mesmo tempo, é intrigante, prende e dá muita, mas MUITA pena de terminar. Principalmente porque quando terminei o livro 1, o 2 ainda não tinha sido lançado no Brasil.

1Q84 - Livro 27. 1Q84 – Livro 2 – Haruki Murakami – 376 páginas
Terminei em 6/9
E aí que pouco mais de dois meses depois, ele é lançado e eu vou desesperada na livraria comprar logo antes que algum louco leve o estoque inteiro. E esse eu li com uma pena absurda, porque o próximo só seria lançado sabe Deus quando. E é perfeito também! Daí que o livro 3 chegou e eu estou contando os minutos para começar a ler =D

Vila Real8. Vila Real – João Ubaldo Ribeiro – 162 páginas
Terminei em 18/11
Bom. Muito bom, na verdade! Ganhei de presente em um amigo secreto no ano passado com a promessa de que eu ia “gostar muito”. E realmente eu gostei muito. É forte e difícil. Tá, talvez não seja tão difícil assim, mas eu admito a minha dificuldade em entender
exatamente o que João Ubaldo Ribeiro quer dizer. A parte boa é que depois que você entende, não quer mais parar de ler!

A Garota da Casa Grande9. A Garota da Casa Grande – Amanda Marchi – 112 páginas
Terminei em 30/11
A autora desse livro me vendeu super bem o peixe! É o livro de estreia de Amanda Marchi e nem por isso deixa a desejar. Não é um livro complexo, é fácil de ler, é divertido e não “pesa”. Bom de verdade!

 

À Espera de um Milagre10. À Espera de um Milagre – Stephen King – 232 páginas
Terminei em 26/12
Natal, uma semana de folga, ócio completo e, para completar, aconteceu o sumiço do livro que eu estava lendo – ‘O Livro das Vidas’. Cheguei em casa, em Mairi, olhei para uma estante com certeza maior do que a minha e bati o olho nesse livro que comecei a ler há um tempo e não terminei, sabe-se Deus porque. Li em quatro dias. É maravilhoso, mas, aviso aos navegantes: gente de coração muito mole e estômago fraco deve ficar BEM longe dele.

==

As sinopses dos livros estão disponíveis no Skoob. Meu perfil lá é esse aqui!

Minha meta para 2014 é de 14 livros. Seis já estão na fila. Sugestões?
O Livro das Vidas: obituários do New York Times – Matinas Suzuki Jr (Org.) – 312 páginas (Lendo)
1Q84 – Livro 3 – Haruki Murakami – 472 páginas
Morte Súbita – J. K. Rowling – 501 páginas
O Filho da Ditadura – Juvenal Teodoro Payayá – 175 páginas
Tereza Batista Cansada de Guerra – Jorge Amado – 429 páginas
Ameaças Veladas – Deborah Donelly – 287 páginas

Anúncios

// Mais 5k: Circuito das Estações Adidas – Etapa da Primavera

2013-10-06 08.22.29Quando eu disse que esse negócio de virar atleta ia ser levado a sério, ficou todo mundo rindo =P Mas, aqui do alto (ou baixo, sei lá), do meu status de Arena Multiuso/Bombril  – descrição que o amigo da academia me fez semana passada, ao saber que eu já nadei, já fiz vôlei, já encarei campeonato estudantil de handball, hoje pedalo, corro e corro mais ainda pra conseguir voltar ao boxe depois de uma lesão -, tenho a declarar que fiz hoje a minha primeira prova do Circuito das Estações Adidas. Corri na primavera soteropolitana (!) – e isso existe, gente? Taí, gostei!

Circuito novo, novos ares, amigos na prova e tempo mais curto: baixei 8 minutos com relação à última corrida, do Circuito da Longevidade, no mês passado \o/. Apesar de a vista da orla da Barra ser mais agradável, gostei do circuito novo: os 5k corridos a partir do Jardim de Alah parecem muito mais fáceis de encarar do que a bendita subida do Cristo da Barra. E cheguei a algumas outras constatações:

1. Correr ouvindo só a própria respiração é o vento é mais fácil do que imprimindo um ritmo pela batida de uma música, por exemplo. Sempre corro com música, mas hoje esqueci o fone…

2. A pista mais larga e a visualização de quase todo o circuito ajudam o psicológico – E MUITO!

Terceira prova. Já pode pedir música no Fantástico? =D

Terceira prova. Já pode pedir música no Fantástico? =D

3. A distinção por pelotões também é positiva. Você não fica achando que é o único muito atrás e dá para perceber se o seu ritmo está mais ou menos condizente com o dos demais colegas de pelotão. P.S. Quase fui parar no Pelotão Quênia (Elite), depois que a moça me entregou o número de peito trocado na entrega do kit. Essa eu queria ver! =P

4. Participei, pela primeira vez, do aquecimento coletivo. Medo de cansar antes. Não, foi massa!

2013-10-06 08.35.01

Equipe mista: eu, Jornal Correio*; Marcos Casé e Marcelo Campos, Jornal A Tarde

5. Jornalistas andam adotando a corrida como modalidade preferida. Encontrei pelo menos 15 colegas no circuito, todos esperando terminar a prova em menos de 1h. Era a minha ideia também, mas fechei a conta em 38 minutos, cravados!

As próximas corridas de rua em Salvador acontecerão nos dias 3/11 (Eco Run) e 8/12 (Circuito das Estações Adidas – Verão). As duas provas estão com inscrições abertas aqui e aqui. Let’s run!

// vou virar atleta, #tôdizendo =P

Mont RunComeçou com o tênis. Colorido e escandaloso, como quase todo tênis de corrida. Depois, com o short mais confortável. Aí veio o percurso. E a cena tosca da minha pessoa contando os obstáculos: “Vou correr até a terceira lata de lixo, depois ando até o ponto de ônibus e aí corro de novo até o quarto poste”.

2013-08-04 08.48.07A meta era participar da corrida de 5km da Meia Maratona da Caixa, que aconteceu no último dia 21 de julho. Treinei, mas não deu e acabei adiando a ‘estreia oficial’ para duas semanas depois. Para falar a verdade mesmo, cá na minha condição de atleta de fim de semana, imaginei que, entre trechos correndo e outros caminhando, levaria duas horas para completar o percurso mais curto.

Pronto, já podem morrer de orgulho: completei, ontem, a minha primeira prova em exatos 40 minutos e 30 segundos: quase exatamente a metade do tempo da primeira colocada. Às 8h40, lá estava eu, esbaforida, morrendo mas nem tanto assim, cruzando a linha com o número de peito 37148! \o/\o/\o/

2013-08-04 09.02.40A primeira prova oficial foi a Corrida da Esperança. O trajeto: Barra-Ondina-Barra (a tal da ida e volta no circuito Barra Ondina do Carnaval).

O que eu tenho a dizer sobre começar a correr? É tipo começar a andar de bicicleta, ou aprender a nadar, ou apenas um jeito de olhar pro mar lindo da Baía de Todos os Santos pelo menos três vezes por semana. É muito bom e é viciante! Recomendo e convido: vai descer?

// agora é a cores

Parece mesmo que o Gigante finalmente decidiu acordar. A Geração Cola-Cola finalmente levantou, prova disso são as manifestações contra a alta no preço do transporte público em São Paulo.

Mas as cenas registradas pela imprensa e pelos próprios manifestantes, infelizmente, parecem uma versão a cores das manifestações de quase 50 anos atrás, durante o regime militar brasileiro. É triste ver que, enquanto o povo luta por direitos, a truculência da polícia continua a mesma. Ou pior…

– A Cores I:

imprensa 1

Rodrigo Paiva

– A Cores II:

calabouço1

Fábio Braga– A Cores III:

carro1

Adriano Lima– A Cores IV:

casal1

Carlos Anizzeli– A Cores V:

Tropas combatem passeata

Eduardo Knapp– A Cores VI:

mulheres1

Rodrigo Soares– A Cores VII:

povo1

Daniela Souza