// sete anos sem internet

No três. Um… dois… três… valeu! A partir de agora, ficaremos todos sem internet por sete anos. Aliás, sete não. Dez. Dez anos. Sem Twitter, sem Facebook, sem e-mail, sem Youtube, sem Instagram, sem Foursquare, sem blog, sem Tumblr, sem memes, sem Google. SEM GOOGLE, CARA!! Sete anos sem Google. Dá para imaginar isso a partir de agora? Sem pensar em 1996 para trás? Não? tem certeza? Absoluta?

Já pensou chegar em um lugar, ficar meio deslocado, e não ter o que fazer com o celular cheio de funções? Já pensou ir jantar com a família e não poder ficar cada um no seu smartphone? Já pensou não poder comentar os debates entre candidatos pelo Twitter? E não poder curtir as fotos celebridades – e tripudiar das subcelebridades – no Facebook? Nem poder ver o clipe de Heloísa, meeeexe a cadeira no Youtube? Nem assistir os capítulos passados de #OiOiOi.

Já pensou se o Sarney morre e você, jornalista, tem que ir na biblioteca para pesquisar a vida dele antes de escrever o obituário? Já pensou ter que checar em livros todas as datas marcantes? Pó de papel velho, máscara e luva na sala de pesquisa da biblioteca. Periódicos antigos ou jornais raros. Sem fazer barulho! Preparado?

E já pensou em que nomes teriam os seus filhos, dado o seu nível de saudosismo? Que tal Facebookson da Silva? Ou Twitter de Oliveira? Ou Youtube Souza? Steffany do Crossfox ou Morre Diabo, nem pensar, né? Será mesmo? Será? HEIN?!

O vídeo é uma parceria no Não Salvo com o Parafernalha. Vê aí:

Anúncios