// Meninas – "Brabas" – ao Vento

Já diziam as más línguas: Mulher de Bigode, nem o Diabo Pode… Pois bem. Uma certa Menina ao Vento, depois que pedalou de bigode, resolveu aderir ao ditado ao pé da letra…

Esta mesma Menina ao Vento saiu de casa no final de tarde de domingo. A TPM batendo no teto e a bicicleta balançando miseravelmente entre as pernas. “Ou essa porra desse pneu furou, eu eu tô mais lesada do que de costume…”, pensou a Menina (assim mesmo, com M maiúsculo), enquanto pedalava calmamente pelas ruas da Barra. De repente, uma “poça” verde e branca – pra não dizer “um mar”, porque aí seria dar muito IBOPE pros caras – surge na frente da criatura.

A Menina ao Vento deu de cara com uns 50 caras vestidos de verde e branco no meio da Rua João Pondé. Até pensou na possibilidade remota de que aquilo fosse o ensaio de uma escola de samba, dada a produção das criaturas. Mas uma frase desarmou o samba todo da historia:

– É um coroa, deixa passar – falou um dos seres de verde e branco.
Continuar lendo

Anúncios